Sou poeminha

sou de luas e estrelas

do espaço sideral

sou lunetas a vê-las

ambiente inóspito

lar individual

sou arte plástica da dor contemporânea

material fluido e inconsistente

em condição normal

meu território é aquele que sobra

e nunca é bem definido

sou vidro ancestral

ora reflito ora refrato

outrora

aflito retrato

eu posso até voar

mas descer é sinônimo de fragmentar


Felipe Gregório.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s