Ficou pros sonhos

Compramos um carro

ela, com seu sorriso salgado,
de firmamento fragmentado em maresia,
pintando de breu a tela preta
por centenas de quilômetros.

Abarrotado eu estava de divisas;

intrigou-se a maré a saber da mureta:
não via o simples do romance
os pés de ferro o fumacê
nas ondas verdes, de vento
ou de qualquer bicho a descosturar
a mata.
Não via que os pores dos sóis e das luas
nos vagões
eram peças por si só dramáticas,

por tanto que alcei tal fronteira.

Queria que fosse um trem,
mas de ferro só tive a mureta.

 


Felipe Gregório

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s